O luxo da palavra

Na história da humanidade é difícil apontar uma invenção que teve maior impacto no ser humano do que o desenvolvimento da linguagem. Diversos animais são capazes de se comunicar, mas poucos conseguem desenvolver uma linguagem tão elaborada e complexa quanto a nossa. Aves possuem diferentes piados para ameaças, amizade, proteção e acasalamento. Cachorros murcham as orelhas, sacodem o rabo e arrepiam os pelos. O homem entretanto é capaz de atribuir significado para diferentes conjuntos de sons e, através deles, constrói um mundo mental compartilhado que abrange não apenas dois ou três, mas sim milhões de indivíduos.


É praticamente impossível imaginar como o mundo de hoje poderia existir sem o uso da linguagem. Palavras definem políticas de governo, transmitem informação, emoção e nos ajudam a compartilhar a experiência de término de relacionamento com o vizinho que está ouvindo "Evidências" no volume máximo.


O real poder de uma palavra


Mais importante que transmitir informações, palavras são muito utilizadas para transmitir emoções. Eu tenho certeza que, em algum momento da sua vida, uma pessoa querida veio te relatar um acontecimento que levou ela a ficar desgostosa e com raiva de um terceiro. A boa e velha fofoca. Das duas uma: ou você não deu bola, o que é pouco provável, ou você "pegou ranço" de alguém que não conhece por causa de uma situação que não vivenciou. Se você se identificou com a segunda alternativa tudo bem, esse era o esperado. Inclusive essa reação emocional foi extremamente importante ao longo da nossa evolução como animal social. Mas se nenhum mal foi lhe causado diretamente, de onde vem o poder dessa palavra?


Vamos pensar em uma outra situação. Você está caminhando na rua e, sem aviso, alguém grita do outro lado da rua:


"Que corte de cabelo feio!".

Como você se sentiria? Será que a opinião de alguém que você nem conhece seria capaz de estragar o seu dia? Provavelmente não. Ninguém gosta de ser chamado de feio. Mas isso se aplica a pessoas próximas, com as quais temos um vínculo afetivo, não pessoas aleatórias na rua. Agora se você descobrisse que seu melhor amigo mandou uma mensagem para outro amigo seu falando:


"... que corte de cabelo feio o do Léo."

Provavelmente uma notícia dessas seria o suficiente para te deixar triste. Mas então isso quer dizer que o poder da palavra está em quem diz ela? Se uma pessoa importante diz algo aquilo vale mais, se alguém que não nos interessa diz a mesma coisa mal damos ouvidos. Mais ou menos...


Se o valor de uma palavra dependesse apenas da autoridade do emissor não teríamos movimentos de resistência ou opiniões contrárias. Apesar de diversos cientistas, autoridades da área, dizerem que a terra tem um formato arredondado, ainda assim existe um grupo de pessoas que acredita ser tudo uma mentira. Neste caso temos um grupo de pessoas que não valida, não confirma a veracidade e importância do discurso científico. Mais importante que o valor atribuído pelo emissor é o valor que o receptor da mensagem dá aquela palavra. Tudo bem se um estranho falar mal do meu cabelo na rua, ele pode ser o melhor barbeiro da cidade, mas se eu não der valor para a opinião dele as palavras que ele disser jamais vão tirar meu sono e me deixar triste.


Palavras sem ação


Por mais que você e seu amigo tenham gostos em comum, tenho certeza que você discorda dele em algum quesito. Mesmo que ele passe o dia dizendo que cenoura cozida é bom você sabe que, na verdade, cenoura crua é bem melhor. Essa diferença de opinião é plenamente tolerável e nenhuma amizade jamais terminou por uma discussão como essa. Mas, se o seu amigo colocar cenoura cozida no seu prato favorito contra a sua vontade… bom, aí nós teremos uma briga.


Acontece que agora você foi realmente prejudicado. Enquanto a palavra, dizer que cenoura cozida é melhor, não se tornou uma ação, te enganar para comer cenoura, nenhuma consequência real se concretizou. Palavras, apesar servirem de motivação para muitas de nossas ações, não tem poder quando desacompanhadas de um comportamento.


Podemos dizer que uma palavra tem duas fontes de poder:

  • O valor que atribuímos a ela. Que está relacionado a diversos fatores como autoridade de quem fala, vínculo com o outro, contexto, etc.

  • Se acompanhadas de uma ação e suas consequências.

Do uso ao luxo


Devido a grande importância da linguagem no nosso dia a dia é muito fácil esquecer que palavras não tem um poder real atrelado a elas. Vivemos tão imersos em discursos e mensagens que esquecemos de agir. Falamos sobre problemas mas não os solucionamos de verdade. Deixamos que palavras de estranhos definam nossos sentimentos em relação a nós mesmos e a outras pessoas. Muitas vezes deixamos de fazer algo que realmente queremos por medo do que o outro vai pensar, ou pior, do que ele vai dizer! O que antes era um recurso essencial para nossa sobrevivência, a comunicação, agora é em sua maioria supérfluo e dispensável. Vivemos em um período que combina o falar com displicência e o ouvir sem avaliar. Deixamos que palavras tenham um caminho direto para dentro de nós, determinando como nos sentimos e o que fazemos. De tudo que você escuta ao longo do dia, o que é realmente essencial? O que teria impacto real na sua vida independente de você dar importância ou não? Muitos dos momentos em que nos sentimos tristes ou irritados ocorrem pois atribuímos valor a palavras que não mereciam nossa atenção. Nos damos o luxo de deixar palavras terem mais valor do que ações. Mesmo que a cidade inteira pense que seu corte de cabelo é feio, no final do dia, se isso não for motivo para te demitirem ou te forçarem a raspar a cabeça, se importar com essas palavras é um luxo que você escolheu dar a quem disse elas.


Sim, palavras são importantes mas quem dá valor a elas somos nós. Precisamos aprender a dar valor para as palavras que realmente irão fazer a diferença na nossa vida e na vida das pessoas que amamos. O que devo dizer para fazer a pessoa que amo mais feliz? O que devo escutar para fazer a minha vida mais feliz? Essas são perguntas essenciais que não devemos deixar passar desapercebidas. Agora cabe a você decidir o valor que cada palavra escrita aqui nesse texto tem...


2 comentários

©2018 by Léo Strack - Terapia a Domicílio. Proudly created with Wix.com